Cotidiano

Guardas civis são flagrados em vídeo agredindo morador de rua em SP

Reprodução

Um vídeo publicado nesta semana em diversas redes sociais mostra a covardia cometida por agentes da GCM (Guarda Civil Metropolitana) contra um morador de rua na capital paulista. Nas imagens, é possível ver um guarda agredindo e humilhando o homem no momento em que apreendem seus pertences. O caso ocorreu nas proximidades da estação Conceição do Metrô, na Zona Sul.

No momento da apreensão, um dos integrantes da GCM que participaram da abordagem se irrita ao ser questionado pelo morador de rua, que posteriormente foi identificado como Samir Ahamad, de 40 anos. O homem questiona o guarda sobre os motivos da truculência e pergunta: “eu te agredi?”.

Veja o vídeo:

A tentativa de diálogo não surtiu efeito. O agente, despreparado e sem qualquer controle emocional para exercer a função, ignora o questionamento e derruba Samir ao chão com uma rasteira. Chorando, o morador de rua diz que se machucou e pede para ser liberado. Quando tenta se desvencilhar, leva outro chute e cai novamente. “Não leva meus ‘bagulhos’ não. Eu não tenho nada”, implora Samir.
Nas imagens, gravadas por um estudante de Jornalismo, é possível ver mais dois guardar acompanhando a abordagem. Apesar de não terem agredido o cidadão, não tomaram qualquer tipo de providência para impedir o colega de prosseguir com as agressões.

Uma mulher que passava pelo local questionou o cinegrafista amador sobre o que estava acontecendo. O estudante responde: “o crime dele foi ter um carrinho de supermercado”. Uma outra transeunte pede aos agentes que parem com a sessão de violência , mas é ignorada pelos guardas – em mais um sinal claro de despreparo.

O morador de rua foi levado para prestar depoimento em uma delegacia no bairro do Jabaquara. Lá, o delegado percebeu que Samir estava com dores e pediu que o levassem a um hospital nas proximidades, onde foi constatada fratura no punho.

Nota fiscal

Em outro momento do vídeo sobre a ação lamentável dos guardas, o morador de rua é questionado se possui nota fiscal dos seus pertences. Obviamente, ele não tinha. Qual seria a reação dos guardas se o cidadão respondesse que, assim como tantos políticos no Brasil , não possui nota fiscal por ter adquirido os objetos com dinheiro oriundo do caixa dois?

Por meio de nota à imprensa, a GCM afirmou que irá abrir procedimento para apurar a conduta dos agentes e que o guarda “envolvido diretamente” na ocorrência será afastado das atividades operacionais.

Comentar

Clique aqui para postar um comentário

Redes Sociais

/ Free WordPress Plugins and WordPress Themes by Silicon Themes. Join us right now!