Cotidiano

Sucuri com cerca de 10 metros é flagrada no interior do Acre; veja vídeo

Divulgação/Reprodução

Uma sucuri com cerca de 10 metros foi flagrada próximo a um igarapé em uma fazenda no quilômetro 100 da BR-364, em Sena Madureira, no interior do Acre.

O dono da propriedade, o empresário Said Elias, de 37 anos, diz que existem duas cobras do mesmo tamanho no local.

No vídeo, gravado pelo peão que trabalha na fazenda de Elias, o animal anda devagar pela mata, mas, ao perceber a presença de pessoas, parece se assustar e tenta fugir até entrar na água.

‘Pessoas se banham nesse local’, diz fazendeiro

O empresário conta que ficou sabendo que as cobras estavam vivendo em sua propriedade há cerca de dois meses. Segundo ele, o gado foi colocado a uma distância maior e com cerca para evitar que sirvam de alimento para as cobras.

“Esse local fica bem próximo à estrada. Às vezes as pessoas passam e veem elas nessa área que é alagadiça. É o ambiente delas mesmo, sei que existem duas por lá. As pessoas costumam se banhar nesse local, mas, como já sabemos dessas cobras, sempre avisamos do perigo. Eu mesmo tomava banho lá antes de saber”, contou Elias.

Cuidados necessários

O major Cláudio Falcão dos Bombeiros informou que locais cercados de mato, arbustos e com igarapés costumam ter animais peçonhentos e afirmou que é preciso ter alguns cuidados. Segundo ele, ao se sentir ameaçado com a presença de alguém em seu ambiente, o animal pode atacar para se defender.

“Especificamente no caso dessas serpentes sucuris, que são animais aquáticos de grande porte, é um risco muito grande para as pessoas que se aventuram nesses locais. A sucuri alcança facilmente 10 metros de comprimento, é um animal que tem muita força muscular, ataca sua presa em busca de se defender e em busca de alimento”, disse o major.

A forma de ataque da sucuri é pelo esmagamento. Normalmente, o animal se enrosca na vítima e arrasta para dentro da água, causando afogamento e sufocamento.

“A melhor coisa é procurar local seguro, mesmo que seja um igarapé, que seja preparado previamente, como um balneário. No caso de se deparar com um animal desse, a pessoa deve se afastar imediatamente, já que o animal vai se sentir ameaçado e vai se defender. Também, não se deve tentar tirar a vida do animal, o mais correto é se afastar rapidamente”, afirmou Falcão. Com informação do G1.

Tópicos relacionados

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar um comentário

Linka Links - Agregador de links